29 de Novembro de 2022
Vitamina C só no frio não resolve - Diário de São Paulo/SP
Aumentar a ingestão dessa substância com a intenção de prevenir gripes e resfriados nos meses de inverno não traz nenhum benefício para o organismo. Segundo especialistas, o ideal é consumir a mesma quantidade no ano inteiro e evitar suplementos vitamínicos sem orientação médica

Regiane Monteiro / Luciana Sobral

Basta chegar o inverno para que as pessoas aumentem o consumo de vitamina C. Para se ter uma idéia, de acordo com os laboratórios, as vendas nos meses frios costumam triplicar. Na maioria das vezes, o objetivo é fortalecer o sistema imunológico e se prevenir contra gripes e resfriados. Se você faz parte do grupo que espreme laranjas ou toma suplementos vitamínicos apenas nesse período, aqui vai um alerta: ingerir vitamina C com a única intenção de evitar as gripes de inverno não vai impedir a doença. E mais: aumentar a quantidade diária como forma de proteção também não trará benefícios. As miligramas a mais de vitamina C que o corpo não precisa vão acabar eliminadas na urina.

A vitamina C funciona como uma capa de proteção celular. Dessa forma, essa substância impede danos como a oxidação das células, aumenta a função dos órgãos e, conseqüentemente, protege o sistema imunológico. Mas tudo isso leva tempo. Não adianta passar uma semana bebendo suco de laranja ou tomar algumas cápsulas no mês. “A vitamina C deve fazer parte da dieta e ser consumida com outras vitaminas”, explica Luiz Roberto Ramos, diretor do Centro de Estudos do Envelhecimento da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Não vai resolver ingerir apenas no inverno, como forma de proteção contra a gripe ou o resfriado”, completa.

Para a vitamina C ter efeito de proteção no organismo seu consumo deve ser diário. Normalmente, essa proteção celular estará totalmente formada em um ano. Um adulto deve ingerir até 95 miligramas por dia. Um copo de suco de laranja com 200 ml tem 80 miligramas de vitamina C. O ideal é consumir o suco até meia hora depois de pronto. A reação com o ar faz com que parte da vitamina se perca. “Um copo de suco de laranja é suficiente”, diz Rosana Tumas, da Unidade de Nutrição e Metabolismo do Instituto da Criança.

Segundo ela, consumir apenas como forma de prevenção em algumas épocas do ano terá pouco resultado. “Se a pessoa aumentar o consumo nesse período com essa finalidade, a vitamina que o organismo não absorve será eliminada na urina”, completa. Para Ramos, a dieta também tem importância fundamental na absorção das vitaminas. “Consumir só vitamina C não adianta. O ideal é uma dieta equilibrada e suplementos só com indicação médica”, afirma o especialista.

Envelhecimento

Como tem papel na proteção celular, a vitamina C também está em várias pesquisas sobre envelhecimento. “A pessoa pode aumentar o consumo a partir dos 40 anos, quando absorvemos menos as vitaminas dos alimentos”, lembra. Aumentar a ingestão dessa substância com a intenção de prevenir gripes e resfriados nos meses de inverno não traz nenhum benefício para o organismo. Segundo especialistas, o ideal é consumir a mesma quantidade no ano inteiro e evitar suplementos vitamínicos sem orientação médica

Regiane Monteiro / Luciana Sobral

Basta chegar o inverno para que as pessoas aumentem o consumo de vitamina C. Para se ter uma idéia, de acordo com os laboratórios, as vendas nos meses frios costumam triplicar. Na maioria das vezes, o objetivo é fortalecer o sistema imunológico e se prevenir contra gripes e resfriados. Se você faz parte do grupo que espreme laranjas ou toma suplementos vitamínicos apenas nesse período, aqui vai um alerta: ingerir vitamina C com a única intenção de evitar as gripes de inverno não vai impedir a doença. E mais: aumentar a quantidade diária como forma de proteção também não trará benefícios. As miligramas a mais de vitamina C que o corpo não precisa vão acabar eliminadas na urina.

A vitamina C funciona como uma capa de proteção celular. Dessa forma, essa substância impede danos como a oxidação das células, aumenta a função dos órgãos e, conseqüentemente, protege o sistema imunológico. Mas tudo isso leva tempo. Não adianta passar uma semana bebendo suco de laranja ou tomar algumas cápsulas no mês. “A vitamina C deve fazer parte da dieta e ser consumida com outras vitaminas”, explica Luiz Roberto Ramos, diretor do Centro de Estudos do Envelhecimento da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Não vai resolver ingerir apenas no inverno, como forma de proteção contra a gripe ou o resfriado”, completa.

Para a vitamina C ter efeito de proteção no organismo seu consumo deve ser diário. Normalmente, essa proteção celular estará totalmente formada em um ano. Um adulto deve ingerir até 95 miligramas por dia. Um copo de suco de laranja com 200 ml tem 80 miligramas de vitamina C. O ideal é consumir o suco até meia hora depois de pronto. A reação com o ar faz com que parte da vitamina se perca. “Um copo de suco de laranja é suficiente”, diz Rosana Tumas, da Unidade de Nutrição e Metabolismo do Instituto da Criança.

Segundo ela, consumir apenas como forma de prevenção em algumas épocas do ano terá pouco resultado. “Se a pessoa aumentar o consumo nesse período com essa finalidade, a vitamina que o organismo não absorve será eliminada na urina”, completa. Para Ramos, a dieta também tem importância fundamental na absorção das vitaminas. “Consumir só vitamina C não adianta. O ideal é uma dieta equilibrada e suplementos só com indicação médica”, afirma o especialista.

Envelhecimento

Como tem papel na proteção celular, a vitamina C também está em várias pesquisas sobre envelhecimento. “A pessoa pode aumentar o consumo a partir dos 40 anos, quando absorvemos menos as vitaminas dos alimentos”, lembra.
05/06/2002 00:00
Copyright ©2006-2013 - Departamento de Comunicação Institucional - Universidade Federal de São Paulo
Rua Sena Madureira, 1500 - 4º andar CEP 04021-001 - Tel.: (11) 3385-4116